Dia Mundial da Água

“Essa música é unica que se transformou num símbolo pra mim e pro Brasil” – GUILHERME ARANTES

Por Giseli Canto

Dia Mundial da Água é comemorado anualmente em 22 de março.

Esta data foi criada com o objetivo de alertar a população internacional sobre a importância da preservação da água para a sobrevivência de todos os ecossistemas do planeta.

Para essa comemoração, nada mais icônico do que trazer aqui a história da música Planeta Água, pelas palavras de seu autor Guilherme Arantes.

Segundo ele, essa música é a maior benção de sua carreira. Um tema que o acompanhava desde menino quando seus pais o levaram para conhecer a tríplice fronteira, pela cidade de Foz do Iguaçu, cidade no estado brasileiro do Paraná, principal base de visitação das famosas Cataratas do Iguaçu, uma das maiores cachoeiras do mundo.

04/2019 – Foz do Iguaçu – Cataratas Foto: José Fernando Ogura/ANPr,

Foz do Iguaçu, água-grande no idioma Tupi-Guarani, foi a grande inspiração do artista que virou embaixador das Cataratas do Iguaçu. Guilherme Arantes diz (…)é um lugar umbilical, um portal energético do universo. A música nasceu como uma guarânia, um estilo que teve origem no Paraguai e tem como característica o andamento lento e os tons menores. A letra é o que se diz de mais profundo sobre esse elemento água. Ao vivo, o artista embevecido da grande importância, diz a língua da água, a expressão da água, é a língua do Brasil, que é o país que tem a água como símbolo, como força energética que rege o povo…o nosso povo é regido pela água doce, que é Mamãe oxum, Nossa Senhora Aparecida, Nazaré(…)tudo isso são emanações espirituais do nosso elemento(…)ao Brasil coube a água(…)se transformou num símbolo pra mim(…)

Planeta Água – Guilherme Arantes

Água que nasce na fonte

Serena do mundo

E que abre um profundo grotão

Água que faz inocente

Riacho e desagua

Na corrente do Ribeirão

Águas escuras dos rios

Que levam a fertilidade ao sertão

Águas que banham aldeias

E matam a sede da população

Águas que caem das pedras

No véu das cascatas

Ronco de trovão

E depois dormem tranquilas

No leito dos lagos

No leito dos lagos

Água dos igarapés

Onde Iara mãe d’água

É misteriosa canção

Água que o sol evapora

Pro céu vai embora

Virar nuvens de algodão

Gotas de água da chuva

Alegre arco-iris

Sobre a plantação

Gotas de água da chuva

Tão triste são lágrimas

Na inundação

Águas que movem moinhos

São as mesmas águas

Que encharcam o chão

E sempre voltam humildes

Pro fundo da terra

Pro fundo da terra

Terra! Planeta água

Terra! Planeta água

Terra! Planeta água

Água que nasce na fonte

Serena do mundo

E que abre um profundo grotão

Água que faz inocente

Riacho e deságua

Na corrente do Ribeirão

Águas escuras dos rios

Que levam a fertilidade ao sertão

Águas que banham aldeias

E matam a sede da população

Águas que movem moinhos

São as mesmas águas

Que encharcam o chão

E sempre voltam humildes

Pro fundo da terra

Pro fundo da terra

Terra! Planeta água

Terra! Planeta água

Terra! Planeta água

Terra! Planeta água

Terra! Planeta água

Terra! Planeta água

Fonte: Planeta Guilherme Arantes Fã Clube https://youtu.be/IHiR8TgtBts

https://www.facebook.com/GuilhermeArantesOficial/about_profile_transparency 

Siga também: @misturafinaarte

Tags

Giseli Canto

Giseli Canto é Arte-educadora, cantora, roteirista, produtora, apaixonada pela música, pela família e pelos amigos, que considera sua segunda família e tudo que se refere ao poder transformador dessa arte. Ama uma boa conversa e está sempre aberta a novos caminhos. Seu olhar otimista para o ser humano faz de sua vida um mundo recheado de boas relações e experiências.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios