Coletivo 58 expõe obras na Estação Arte

O traço contemporâneo das imagens retrata a união da prática artística e as pesquisas de sala de aula

Um grupo, antes de tudo, de amigos, reunidos por um interesse em comum: as artes visuais. Pela convivência no curso de Licenciatura em Artes Visuais da Universidade Estadual de Ponta Grossa, a afinidade tornou-se maior quando cinco acadêmicos criaram o Coletivo 58 – o nome é uma referência a uma das salas da universidade em que o grupo se reunia para produzir telas, gravuras e desenhos.O resultado dessa união está exposto na Estação Arte na exposição ‘Proclamando Devaneios’, aberta para visitação até o dia 14 de julho, com entrada gratuita.

“O que fazemos aqui é um voto artístico para continuarmos e crescermos, porque seria muito mais difícil se cada um tentasse crescer sozinho. Juntos somos mais fortes”, explica Carlos Ferreira, um dos artistas do coletivo.“Na universidade você tem o básico de experiências artísticas e a pesquisa aconteceu com o coletivo. Pesquisar artistas, materiais, linguagens, estéticas. O coletivo nasceu assim mesmo: de uma ânsia por uma criação fora da universidade”, completa Mayara Gomes, a única mulher no grupo.

Matheus Guilherme, o terceiro do grupo, também ressalta que o Coletivo 58 torna possível o sonho de criança de ‘ser artista’, porém, não diminui o traço individual e a linguagem artística de cada um, entre as obras contemporâneas expostas. Mayara, por exemplo, focou na pintura, Carlos está se desbravando nas esculturas em cerâmica,Terleski expôs trabalhos com desenho de matérias do dia a dia do estudante (o café e o açúcar, por exemplo), Matheus usa tinta a óleo e Murilo se aventura na técnica mista.

No início, o grupo tinha um momento que se reunia para produzir juntos (na sala de aula 58). “Como somos quase todos da mesma turma, nos encontramos todos os dias em sala de aula e estamos o tempo todo falando sobre artistas, pesquisa e sobre produção. Mas, agora, o momento de criação é individual e a pesquisa toda ocorre nesse processo”, explica Mayara.

A arte sai da tela para o dia a dia

O grupo cursa uma licenciatura e a aproximação da produção artística com a sala de aula de escolas é constante. Para Mayara, as iniciativas de prática artística (como o coletivo) incentivam novos grupos a se reunirem e produzirem. “Inclusive para o aluno que está na escola secundária, que é o mais básico que as disciplinas de artes oferecem nas escolas”, afirma.Para Matheus, “o contato com o adolescente é fundamental para criar a relação do jovem com as galerias de arte”. Carlos ressalta que também é importante os jovens saberem que uma carreira artística não nasce de uma hora para outra, mas é “degrau por degrau”, nas palavras dele.

Serviço:

A exposição ‘Proclamando Devaneios’ está aberta para visitação ao público na Estação Arte (RuaBenjamin Constant, 404, na esquina do Terminal Central, antigo Mercado da Família) até o dia 14 de julho. O espaço abre de segunda a sexta-feira, das 9h às 11h e das 13h às 17h. Visitas monitoradas podem ser agendadas pelo telefone (42) 3901-1209. A agenda completa das galerias de arte de Ponta Grossa está disponível no aplicativo Cultura Paraná, que pode ser baixado gratuitamente no celular.

Crédito foto: Divulgação

,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *