A Série Palco Musicais traz a Curitiba o Klaviertrio de Budu, Ratchev e Weigle

A Série Palcos Musicais ocorre em Londrina desde 2013 e chega a Curitiba em 29 de maio, terça-feira, com o recital do Klaviertrio, do aclamado pianista Cristian Budu, do violinista londrinense NikolauRatchev e do violoncelista alemão Jonathan Weigle. No Espaço Cultural Capela Santa Maria, às 20h, o Trio mostrará obras de compositores consagrados: Beethoven, Brahms e Dvorák. Esta será a primeira vez que o Trio se apresentará em Curitiba.

O recital trará duas obras para duos e uma em trio, tendo o piano como elemento em comum de todo o recital. Na primeira parte, a “Sonata para violino e piano, op. 96, n.10, G Dur”, de Ludwig Van Beethoven, e a “Sonata para Violoncelo e piano, op.38, n.1 in, e moll”, de Johannes Brahms.São obras que exigem dos musicistas muita precisão e virtuosismo. A “Sonata n.10..”, de Beethoven, foi escrita em 1812 e dedicada ao Arqueduque Rudolph, da Áustria, que estreou a peça com o violinista Pierre Rode. Beethoven pensou no estilo de Rode para compor o movimento final. É uma peça bela e calma. A “Sonata para Violoncelo e piano, op.38, n.1 in, e moll”, de Brahms, foi escrita entre 1862 e 1865. Brahms criou uma música em que qual o piano não aparece como acompanhante do violoncelo, mas assume voz igualmente protagonista. A obra foi dedicada a obra a Johann Sebastian Bach e o tema principal do primeiro movimento é baseado em dois contrapontos de “A Arte da Fuga”. A segunda parte do recital traz o “Trio para piano op.90, n. 4 em mi maior”, conhecido por “Dumky”, que significa em linguagem eslava uma balada épica. Foi composta em  1891 e tornou-se uma das músicas mais tocadas de Dvorák e quase uma exigência para trios com piano.

 O Trio

O Klaviertrio de Budu, Ratchev e Weigle tem uma característica inusitada. Os dois brasileiros que participam do Trio possuem raízes do Leste Europeu. Cristian Budu é descendente de romenos. NikolauRatchev nasceu em Londrina e é descendente de búlgaros. A estes uniu-se Werigle, que toca com Ratchev na Orquestra de Colônia.

Cristian Budu é brasileiro de origem romena, considerado um dos expoentes de sua geração. Laureado com o primeiro lugar em diversos concursos nacionais, como o Nelson Freire (2010) e o Programa Prelúdio da TV Cultura (2007), em 2013 tornou-se o primeiro brasileiro a vencer o 25º Concours International de Piano Clara Haskil, na Suíça. Além do grande prêmio, Cristian arrebatou o prêmio do público e o prêmio Children’s Corner. Outro concurso que venceu foi o “WIld Card Ensemble Honors Competition” do New England Consevatory em Boston. O CD recém-lançado, com obras de Chopin e Beethoven, ganhou a “Editor’sChoice” da revista Gramophone, a mais importante no mundo da música clássica.

Nikolau Ratchev iniciou suas aulas de violino com seu pai, o violinista e professor búlgaro Evgueni Ratchev. Integrou a Orquestra  de Câmara “Solistas de Londrina”, dirigida pelo seu pai e gravou dois CDs com obras de compositores brasileiros.  Em 2012 foi admitido na Universidade “Folkwang Universität der Künste Essen“, Alemanha, na classe do mestre Mintcho Mintchev, onde concluiu o Bacharelado em 2016. Sua formação musical foi complementada com masterclasses  com Mintchev, Christoph Poppen e Eva Szekely(Universidade de Missouri-Columbia, EUA). Atualmente, além do aperfeiçoamento de violino com  Mintchev, integra classes dos professores Andreas Reiner, Evgeny Sinaiski e Yannick Rafalimanana. Desde 2015 é membro da Orquestra de Câmera de Colônia, Alemanha, sob regência de Christoph Poppen. Nikolau participa em  várias formações camerísticas e como solista na Alemanha, Portugal e Bulgária e Brasil.

Jonathan Weigle iniciou seus estudos de violoncelo aos cinco anos de idade. Em 2014 concluiu o seu  mestrado na Escola Superior de Música Hanns Eisler, em Berlim. Estudou música de câmara na  Escuela Superior de Música Reina Sofía, em Madri, em 2011 e 2012. Recebeu orientações artísticas de Steven Isserlis, Tsuyoshi Tsutsumi, Ivan Monighetti, Michael Sanderlinge  dos membros do Artemis Quartett. Foi por dez anos o violoncelista principal da Junge Philharmonie Brandenburg. Foi violoncelista principal das Frankfurter Opern und Museumsorchester, Hong Kong Sinfonietta e Göteborgs Symfoniker e integrou a Orquestra de Câmara de Paris. Weigle se apresenta regularmente com renomadas  orquestras, como a Mahler Chamber Orchestra, a Orquestra Filarmônic de Hong Kong e a Gewandhausorchester Leipzig. Desde 2015 é o violoncelista principal da Orquestra de Câmara de Colônia. Tem realizado inúmeras apresentações na Europa, China, Oriente Médio, Brasil e Argentina.

Série traz música de qualidade

Criada em 2013, a Série Palcos Musicais é iniciativa desafiadora que prova mais uma vez que a música de câmara de qualidade tem lugar, público e espaço para ser prestigiada. “Hoje a série é um marco para a cultura musical de Londrina e região, um dos eventos mais importantes da nossa agenda cultural, por sua característica inovadora, voltada para as diversas faixas etárias e classes socioeconômicas”, informa Irina Ratcheva, coordenadora artística da série. “Os recitais privilegiam o ecletismo estilístico da música de câmara, através da variedade de repertório, que focaliza desde barroco até o contemporâneo.”

Atualmente, na cena musical do Paraná, há uma carência de circuitos que privilegiem a música clássica de câmara e a Série Palcos Musicais contribui para suprir essa lacuna. “A prática da música de câmara é singular, pois coloca sobre cada um dos músicos igual responsabilidade artística e o repertório é abrangente e universal. Trazendo nomes consagrados da cena internacional, a mostra coloca Londrina e região no calendário nacional de eventos dessa categoria”, revela Irina Ratcheva, que pela primeira vez está levando uma atração da Série a Curitiba. “A ideia é que a música conquiste o reconhecimento de novos públicos, abrindo espaço à música instrumental brasileira, tentando atingir todas as vertentes, da música pura autoral à importância da improvisação e releitura de grandes clássicos.”

Serviço

A apresentação do Klaviertrio na Capela Santa Maria dentro da Série Palcos Musicais, em 29 de maio, ás 20 horas, é realização da Apolônia Produções e tem produção local de Alvaro Collaço Produções. Conta com incentivo da Lei Federal de Incentivo à Cultura- Ministério da Cultura, patrocínio da Unimed e BRDE e apoios da Fundação Cultural de Curitiba, ICAC e do Restaurante Banoffi. Ingressos a R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia) podem ser adquiridos de forma online (www.aloingressos.com.br) ou no Espaço Capela Santa Maria, na Rua Conselheiro Laurindo, 273. Informações pelo fone 3321-2840.

Crédito foto: Cristian Budu – do de lan Asch

 

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *