Vida longa ao Sofar Curitiba

O evento aconteceu no último domingo, 19, em uma versão híbrida

Por Vanessa Ricetti Ricardo

Após quase dois anos sem apresentações presenciais, o Sofar Curitiba, voltou ser realizado presencialmente. O evento aconteceu no último domingo, 19, no Nex Casa de Pedra, no coração do Batel.

Em uma tarde de sol, o enorme jardim virou palco do evento, que acontece em Curitiba desde 2013, inclusive o Jornal A Cena, também estava presente na primeira edição. O evento que já faz parte do calendário cultural da cidade, traz ao público nomes da música autoral paranaense.   Pensando na segurança de todos, por causa da pandemia do coronavírus, na entrada as pessoas tinham que apresentar comprovação de vacinação.

Iria Braga e Carlito Birolli. Crédito foto: Eve Ramos

A edição de 2021, aconteceu de forma híbrida, com transmissão ao vivo pelo canal do Sofar Curitiba no YouTube. Os primeiros a entrarem no palco foram Iria Braga e o músico e compositor Carlito Birolli, que trouxeram a MPB com composições lindíssimas.

João Triska e Stéfanos Pinkuss. Crédito foto: Eve Ramos

O músico e compositor João Triska, conhecido pela sua versatilidade e talento, foi o segundo a se apresentar, acompanhado do músico e violonista Stefanos Pinnkus. Triska, trouxe para a edição do Sofar, músicas de amor e de protesto.

Bernardo Beduíno, Jaque Livre, João Mendes e DJ BK12. Crédito foto: Eve Ramos

Bernardo Beduíno, levou ao evento o melhor do rap curitibano, regado com feats e com letras reflexivas e fortes. O artista estava acompanhando, nos vocais por Jaque Livre, Dj BK 12, João Mendes na Guitarra e o rapper Caco.

Janine Mathias. Crédito foto: Eve Ramos

Essa edição do Sofar Híbrido, foi marcado pela presença de cantoras e compositoras. Representante do samba, Janine Mathias, trouxe composições que emocionaram o público, cantou o seu mais novo single Devoção e deu uma mostra do seu próximo lançamento. Janine Mathias, estava acompanhada pelas instrumentistas Érica Silva na guitarra, Halanna Aguiar no tamborim e padeiro de couro e Kauhana Aguiar no surdo e repique de anel.

Mulamba. Crédito foto: Eve Ramos

Encerrando as apresentações a banda composta só por mulheres Mulamba, trouxe em seu repertórios canções que fazem parte da história da banda. Fazendo o público dançar e cantar. A banda criada em Curitiba, e que voa alto também apresentou o novo single que será lançado no próximo EP.

Vida longa ao Sofar Curitiba, que é hoje um dos poucos eventos da cidade que valoriza e estimula a formação de plateia aos artistas e compositores paranaenses de diferentes e variados estilos. O evento deixou um gosto de quero mais, e que venha muito mais em 2022.

 

Tags

Vanessa Ricetti Ricardo

Vanessa Ricetti Ricardo, jornalista e assessora de imprensa, pós graduada em cinema, desde o início de sua carreira se dedica ao jornalismo cultural. Trabalha como repórter em rádio. Criou em 2013 o Jornal A Cena, onde divulga a arte e a cultura realizada no país.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios