“O Massacre dos Anjos”, fala de violência e as masculinidades tóxicas

Maíra Lour, conhecida pelo trabalho na Súbita Companhia, encara novo desafio em obra sobre masculinidades tóxicas

A dramaturga e diretora Maíra Lour dirige “O Massacre dos Anjos”, uma dramaturgia contemporânea e a primeira encenação profissional da Cia Rabiscos. O texto aborda questões sobre a masculinidade tóxica, violência e a negação da sensibilidade na educação de meninos. A peça estréia em 10 de outubro com temporada no Espaço Ave Lola.

“O Massacre dos Anjos” é o primeiro texto para teatro do ator e dramaturgo César Mathew, que integra a Cia Rabiscos. Aborda questões sobre a masculinidade tóxica a partir de uma conversa entre pais e mães, que sem perceber expõem seus comportamentos e revelam as consequências de suas atitudes cotidianas. A referência inicial é o filme “Deus da Carnificina”, uma adaptação da peça teatral  “God Of Carnage”, da dramaturga francesa Yasmina Reza.

A dramaturga e diretora Maíra Lour dirige “O Massacre dos Anjos”, uma dramaturgia contemporânea e a primeira encenação profissional da Cia Rabiscos. O texto aborda questões sobre a masculinidade tóxica, violência e a negação da sensibilidade na educação de meninos. A peça estréia em 10 de outubro com temporada no Espaço Ave Lola.

“Questionar a masculinidade tóxica é com certeza algo que precisa estar presente nas discussões, nas conversas. O machismo é algo subcutâneo assim como vários outros comportamentos sociais, é preciso uma atenção diária para não seguirmos fazendo a manutenção de ideias que são extremamente agressivas e que geram violências e desigualdades. Outros imaginários coletivos são possíveis”, destaca Maíra sobre a temática da peça.

A diretora fala ainda sobre a importância de sua visão enquanto mulher para construir a cena junto ao elenco. “Se tratando de uma peça artística o entrelaçamento das visões femininas (minha, das atrizes e de outras artistas participantes) com o próprio conflito masculino de se questionar e se pegar agindo de forma incoerente com o discurso é um movimento muito instigante e abre para muitas possibilidades”, ressalta ela.

Maíra, conhecida por sua longa atuação à frente da Súbita Companhia, fala sobre a importância de estar em um trabalho com outra equipe. “A encenação coletiva e dinâmica está bastante relacionada com proposições que venho experimentando que colocam a força na conexão do grupo, no encontro das potências individuais em cena e no compartilhamento do protagonismo. Busco sempre valorizar a fisicalidade em cena, encontrando a particularidade do movimento corporal de cada atriz/ator. E, é claro, que o encontro com a linguagem de outra companhia me apresenta novidades e desafios em termos de escolhas estéticas e poéticas que me deslocam e me provocam enquanto diretora”, diz ela.

A equipe de criação artística inclui ainda nomes reconhecidos no teatro paranaense, como a cenógrafa Guenia Lemos, o figurinista Paulo Vinícius, o iluminador Wagner Corrêa e Lucas Neves na trilha sonora original, Dafne Viola na assistência de direção e produção de Gilmar Kaminski e Gabriel Tonetti. A Cia Rabiscos é formada por André Avancini, Cesar Mathew, Felipe Frutuoso, Gabriela Schwarzbak e Jakeline Barra e realiza o seu primeiro trabalho profissional subsidiado pelo Mecenato Iniciante em parceria com artistas experientes, fortalecendo a sua formação artística enquanto companhia de teatro.

Serviço:

O MASSACRE DOS ANJOS

Ave Lola – Espaço de Criação / Rua Mal. Deodoro, 1227

Datas: 10 de outubro a 10 de novembro de 2019

Quinta a sábado às 20h

Domingo às 19h

Pague o quanto vale

Ingressos retirados no próprio teatro 1 hora antes de cada sessão

Sobre a diretora Maíra Lour:

Maíra Lour é dramaturga e diretora da Súbita Companhia de Teatro desde 2007. Pesquisadora de linguagens híbridas teatro, dança e literatura. Trabalha como diretora de espetáculos, dramaturga, preparadora de elenco, ministrante de oficinas para artistas pré profissionais e profissionais, orientadora de trabalhos em dança e teatro. Idealizadora e orientadora do núcleo de pesquisa PLATAFORMA – Espaço de Investigação Artística da Súbita Companhia de Teatro (workshops, residências, encontros e publicações). Colaboradora do Núcleo IMP (investigação do movimento particular) de dança contemporânea desde 2007. Dedica-se à pesquisa de autoras mulheres latinoamericanas; criação em dramaturgia contemporânea; estudos do corpo dramático-poético; relação entre fisicalidade e interpretação; dramaturgia do gesto e modos colaborativos de criação e produção.

Realização:

Cia Rabiscos

Incentivo:

EBANX

Lei de Incentivo à Cultura

Fundação Cultural de Curitiba

Prefeitura de Curitiba

Ficha técnica completa:

Direção: Maíra Lour

Assistência de direção: Dafne Viola

Dramaturgia: Cesar Mathew

Elenco: André Avancini, Cesar Mathew, Felipe Frutuoso, Gabriela Schwarzbak e Jakeline Barra

Coordenação de produção: Gilmar Kaminski

Produção executiva: Gabriel Tonetti

Cenografia: Guenia Lemos

Figurino: Paulo Vinícius

Iluminação: Wagner Correa

Sonoplastia e trilha sonora original: Lucas Neves

Assessoria de imprensa: Giana Guterres

Redes sociais: Gabriel Tonetti e Gilmar Kaminski

Design gráfico: Victor Uchoa

Captação de recursos: Meire Abe

PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

Crédito foto: Gabriel Tonetti

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios