Teatro

“O Massacre dos Anjos”, fala de violência e as masculinidades tóxicas

A dramaturga e diretora Maíra Lour dirige “O Massacre dos Anjos”, uma dramaturgia contemporânea e a primeira encenação profissional da Cia Rabiscos. O texto aborda questões sobre a masculinidade tóxica, violência e a negação da sensibilidade na educação de meninos. A peça estréia em 10 de outubro com temporada no Espaço Ave Lola.

“O Massacre dos Anjos” é o primeiro texto para teatro do ator e dramaturgo César Mathew, que integra a Cia Rabiscos. Aborda questões sobre a masculinidade tóxica a partir de uma conversa entre pais e mães, que sem perceber expõem seus comportamentos e revelam as consequências de suas atitudes cotidianas. A referência inicial é o filme “Deus da Carnificina”, uma adaptação da peça teatral  “God Of Carnage”, da dramaturga francesa Yasmina Reza.

A dramaturga e diretora Maíra Lour dirige “O Massacre dos Anjos”, uma dramaturgia contemporânea e a primeira encenação profissional da Cia Rabiscos. O texto aborda questões sobre a masculinidade tóxica, violência e a negação da sensibilidade na educação de meninos. A peça estréia em 10 de outubro com temporada no Espaço Ave Lola.

“Questionar a masculinidade tóxica é com certeza algo que precisa estar presente nas discussões, nas conversas. O machismo é algo subcutâneo assim como vários outros comportamentos sociais, é preciso uma atenção diária para não seguirmos fazendo a manutenção de ideias que são extremamente agressivas e que geram violências e desigualdades. Outros imaginários coletivos são possíveis”, destaca Maíra sobre a temática da peça.

A diretora fala ainda sobre a importância de sua visão enquanto mulher para construir a cena junto ao elenco. “Se tratando de uma peça artística o entrelaçamento das visões femininas (minha, das atrizes e de outras artistas participantes) com o próprio conflito masculino de se questionar e se pegar agindo de forma incoerente com o discurso é um movimento muito instigante e abre para muitas possibilidades”, ressalta ela.

Maíra, conhecida por sua longa atuação à frente da Súbita Companhia, fala sobre a importância de estar em um trabalho com outra equipe. “A encenação coletiva e dinâmica está bastante relacionada com proposições que venho experimentando que colocam a força na conexão do grupo, no encontro das potências individuais em cena e no compartilhamento do protagonismo. Busco sempre valorizar a fisicalidade em cena, encontrando a particularidade do movimento corporal de cada atriz/ator. E, é claro, que o encontro com a linguagem de outra companhia me apresenta novidades e desafios em termos de escolhas estéticas e poéticas que me deslocam e me provocam enquanto diretora”, diz ela.

A equipe de criação artística inclui ainda nomes reconhecidos no teatro paranaense, como a cenógrafa Guenia Lemos, o figurinista Paulo Vinícius, o iluminador Wagner Corrêa e Lucas Neves na trilha sonora original, Dafne Viola na assistência de direção e produção de Gilmar Kaminski e Gabriel Tonetti. A Cia Rabiscos é formada por André Avancini, Cesar Mathew, Felipe Frutuoso, Gabriela Schwarzbak e Jakeline Barra e realiza o seu primeiro trabalho profissional subsidiado pelo Mecenato Iniciante em parceria com artistas experientes, fortalecendo a sua formação artística enquanto companhia de teatro.

Serviço:

O MASSACRE DOS ANJOS

Ave Lola – Espaço de Criação / Rua Mal. Deodoro, 1227

Datas: 10 de outubro a 10 de novembro de 2019

Quinta a sábado às 20h

Domingo às 19h

Pague o quanto vale

Ingressos retirados no próprio teatro 1 hora antes de cada sessão

Sobre a diretora Maíra Lour:

Maíra Lour é dramaturga e diretora da Súbita Companhia de Teatro desde 2007. Pesquisadora de linguagens híbridas teatro, dança e literatura. Trabalha como diretora de espetáculos, dramaturga, preparadora de elenco, ministrante de oficinas para artistas pré profissionais e profissionais, orientadora de trabalhos em dança e teatro. Idealizadora e orientadora do núcleo de pesquisa PLATAFORMA – Espaço de Investigação Artística da Súbita Companhia de Teatro (workshops, residências, encontros e publicações). Colaboradora do Núcleo IMP (investigação do movimento particular) de dança contemporânea desde 2007. Dedica-se à pesquisa de autoras mulheres latinoamericanas; criação em dramaturgia contemporânea; estudos do corpo dramático-poético; relação entre fisicalidade e interpretação; dramaturgia do gesto e modos colaborativos de criação e produção.

Realização:

Cia Rabiscos

Incentivo:

EBANX

Lei de Incentivo à Cultura

Fundação Cultural de Curitiba

Prefeitura de Curitiba

Ficha técnica completa:

Direção: Maíra Lour

Assistência de direção: Dafne Viola

Dramaturgia: Cesar Mathew

Elenco: André Avancini, Cesar Mathew, Felipe Frutuoso, Gabriela Schwarzbak e Jakeline Barra

Coordenação de produção: Gilmar Kaminski

Produção executiva: Gabriel Tonetti

Cenografia: Guenia Lemos

Figurino: Paulo Vinícius

Iluminação: Wagner Correa

Sonoplastia e trilha sonora original: Lucas Neves

Assessoria de imprensa: Giana Guterres

Redes sociais: Gabriel Tonetti e Gilmar Kaminski

Design gráfico: Victor Uchoa

Captação de recursos: Meire Abe

PROJETO REALIZADO COM O APOIO DO PROGRAMA DE APOIO E INCENTIVO À CULTURA – FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA E DA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

Crédito foto: Gabriel Tonetti

Posts relacionados
Teatro

''MARIAS: História de Pomba Giras'', o novo curta-metragem da CIA KÀ trás a contemporaneidade brutal do século 21

Teatro

Neste fim de semana te contos no Guairinha

Teatro

Primeiro Festival de Bolso de Teatro em Curitiba

Teatro

Teatro Guaíra será palco do "One Night Of Tina"

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.