Performance do ator Marcel Szymanski percorre comunidades remanescentes quilombolas do Paraná.

O ator Marcel Szymanski está levando a performance [escrevedor de histórias] para seis comunidades remanescentes quilombolas do Paraná (CRQs): Adelaide Maria Trindade Batista (Palmas), Água Morna (Curiúva), Batuva (Guaraqueçaba), Feixo (Lapa), João Surá (Adrianópolis) e São Roque (Ivaí). A edição Quilombolas do projeto será realizada nos meses de outubro, novembro e dezembro deste ano. A comunidade de Feixo, na Lapa, foi a primeira a receber o trabalho que já passou também por Ivaí e   Palmas. Guaraqueçaba (crq Batuva) será a próxima, a performance será apresentada dias 7 e 8 de dezembro (sábado e domingo). Na sequência segue para Adrianópolis (crq João Surá), dias 12 e 13 de dezembro.

Em cada CRQ é realizada uma oficina/conversa que propõe uma reflexão sobre o papel da arte e da ancestralidade na sociedade. O projeto prevê ainda uma publicação impressa com registros de cada vivência para distribuição gratuita em 2020.

[escrevedor de histórias] nasceu em 2015 e ocupou diversos espaços urbanos do transporte público e logradouros de Curitiba. O ator Marcel Szymanski se utiliza de uma máquina datilográfica como objeto relacional, de escuta e de cultivo à memória para registrar cada encontro e as histórias que dele brotam. A performance sugere um tempo/espaço em que talvez não haja computador, tão pouco internet. O clima nostálgico criado para a performance convida o público a compartilhar suas lembranças, sonhos e segredos. “Muitos se surpreendem com a experiência das palavras irem tomando forma à medida que as teclas são batidas. Para muitos a máquina de escrever é algo inédito”, conta o ator.

A sonoridade da máquina em uso cria um clima peculiar ao ambiente da performance que evoca inúmeros sentimentos e emoções, seja por meio de recordações, ausências, desejos e, até mesmo, frustrações, ou seja, experiências já vividas por quem assiste. A partir deste encontro, ator e público, surge a possibilidade de escrever e reescrever a própria história. O ator se coloca disponível para ouvir e registrar em forma de cartas as expressões surgidas. Na opinião do ator, que também é o empreendedor do projeto, o trabalho é uma maneira de pensar sobre o conviver urbano, a era digital, o analógico, as relações interpessoais, a literatura, a memória, a noção de pertencimento, a cultura, a experiência individual e coletiva.

“No meu entendimento uma das funções do [escrevedor de histórias] é registrar a nossa cultura a partir de pequenos fragmentos de histórias e isto me emociona e, ao mesmo tempo, me instiga”, declara Marcel.

O projeto conta com um diário eletrônico das histórias e vivências, disponibilizado via internet: https://www.facebook.com/escrevedordehistorias/

Este projeto foi viabilizado com apoio da COPEL por meio do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria de Estado da Comunicação Social e da Cultura.

 

Ficha Técnica

Marcel Szymanski – Intérprete criador/Performer

Rafael Camargo – Dramaturgia e Direção

Elenize Dezgeniski – Registro (foto e vídeo)

Adriana Alegria – Design Gráfico

Glaucia Domingos – Assessoria de Imprensa

Realização e Produção – Sustenido Produções

Crédito foto: Elenize Dezgeniski

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios