Exposição

MON inaugura duas mostras em dezembro

Didonet Thomaz e Serguei Maksimishin apresentam seus trabalhos
O Museu Oscar Niemeyer (MON) abre no dia 13 de dezembro, quinta, às 19h15, as mostras “Politopos Irregulares”, de Didonet Thomaz, e “O último Império”, do fotógrafo russo Serguei Maksimishin.
“Politopos Irregulares” tem curadoria do professor Raúl Niño Bernal, do Departamento de Estética da Facultad de Arquitectura y Diseño, da Pontifícia Universidad Javeriana de Bogotá, Colômbia. O diálogo entre o curador e a artista Didonet Thomaz será apresentado em fragmentos de algumas mensagens de trabalho na linha do tempo, do estudo e da organização do seu “memorial de pesquisa: arquivo” e culminará com o texto curatorial (2015-2018).  A exposição fica em cartaz até dia 18 de março de 2019.
A mostra “O último Império” traz imagens que retratam a Rússia contemporânea e tem curadoria de Luiz Gustavo Carvalho. O trabalho de Serguei Maksimishin é instigante e complexo, retratando o cotidiano de um país que também o é. A Rússia contemporânea e seus personagens – crianças, soldados, religiosos, políticos, neonazistas – são retratados de forma que possibilita a imersão do público em um país cuja história perpassa pelo período soviético, uma grave crise nos anos 90 e, enfim, os problemas atuais. A mostra segue até 31 de março de 2019.
Mesa-redonda
No dia 14 de dezembro, sexta, entre 19h e 21h30, no miniauditório do MON, haverá uma mesa-redonda sobre a mostra “Politopos Irregulares”, com a artista Didonet Thomaz e o curador Raúl Niño Bernal, com mediação do artista visual e professor Hélio Fervenza.
Didonet Thomaz, autora da exposição Politopos Irregulares, falará sobre “Processo poético de Politopos Irregulares”. É artista visual, doutora em Tecnologia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (2015), com postdoc supervisionado pelo artista visual e professor Hélio Fervenza.
Raúl Niño Bernal, curador da exposição, tem como tema: “Autoorganización y mundos posibles en los politopos irregulares”.  É doutor em Ciências Políticas pela Atlantic International University (USA; 2012), professor do Departamento de Estética da Facultad de Arquitectura y Diseño, da Pontifícia Universidad Javeriana de Bogotá (Colômbia). Em suas pesquisas dedica-se à arte, à ciência e à tecnologia, às ciências da criação, à imaginação poética e à criatividade nos sistemas urbanos.
Hélio Fervenza, mediador da mesa-redonda, tratará sobre “Formas da Apresentação: Didonet Thomaz”. É artista visual, doutor em Artes Plásticas pela Université de Paris 1 Panthéon-Sorbonne (França; 1995), professor do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e pesquisador do CNPq.
Serviço: 
Abertura das mostras “Politopos Irregulares” e “O último Império”
Data: 13 de dezembro de 2018, quinta
Horário: 19h15 – entrada gratuita na abertura
Visitação: terça a domingo, das 10h às 18h – acesso até 17h30
Ingressos: R$20,00 e R$10,00 (meia-entrada)
Quarta entrada franca
Mesa-redonda exposição Politopos Irregulares
Data: 14 de dezembro de 2018, sexta
Horário: 19h às 21h30
Local: miniauditório
Entrada gratuita
Museu Oscar Niemeyer
Rua Marechal Hermes, 999
www.museuoscarniemeyer.org.br
41 3350 4400
Crédito foto:
Serguei Maksimishin
Título: Colégio Teológico / Theological college
Data: Makhachkala, 2008
Posts relacionados
Exposição

Um jardim encantado em Curitiba

Exposição

Maior jardim de esculturas público do Brasil, com obras de João Turin, vai completar um ano

Exposição

Grupo de artistas inaugura a mostra Univers9 no MuMA neste sábado

Exposição

MUSEU DA LÍNGUA PORTUGUESA TERÁ COMO MARCO DE REABERTURA MÚSICA CRIADA POR RAPPER DE PERIFERIA CARIOCA

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.