Projeto Encarcerarte leva o espetáculo a quem não pode ir até ele

Espetáculo Na Linha estreia neste domingo, de forma virtual, e depois percorrerá penitenciárias femininas

A palhaça Ciska está na linha. Pronta para, mais uma vez, percorrer a estrada no sentido inverso. Enquanto a grande maioria do público sai de casa e vai para o espetáculo, ela faz o caminho contrário: leva o espetáculo a quem não pode sair de onde está. Há seis anos, a atriz Ariane Vizzoto proporciona arte a pessoas que estão em lares de idosos, hospitais, encontros de crianças em situação de acolhimento e, é claro, nas ruas. Agora, com o projeto Encarcerarte, ela dá mais um passo e entra nas penitenciárias.

Executado através do Edital Criação e Formação Diversidade das Culturas e realizado com recursos da Lei Aldir Blanc nº 14.017/20, o Encarcerarte precisou de algumas adaptações devido à pandemia, mas ainda neste ano pretende cumprir o seu principal objetivo: apresentar o espetáculo Na Linha em quatro penitenciárias femininas do Rio Grande do Sul. Por enquanto, devido às condições sanitárias, a estreia será virtual. Dia 18 de julho, às 18:30, você está convidado a conhecer essa história no canal Ciskando no YouTube.

A produtora cultural Juliana Gedoz Tieppo afirma que além de chegar na população privada de liberdade, seguindo a trajetória de Ariane, a peça tem o objetivo de dialogar com o público feminino. Por isso, foram escolhidas as penitenciárias de Guaíba – a maior para mulheres no Rio Grande do Sul -, Santa Maria (cidade de Ariane), Caxias do Sul e Bento Gonçalves (área de atuação de Juliana). “Acreditamos que a arte pode contribuir para a reinserção dessas mulheres na sociedade. O sistema prisional não está fora da nossa sociedade, não é uma realidade paralela, que não influencia no bem estar social. Ele faz parte, por isso precisamos ir até lá”, explica Juliana.

Na Linha é um espetáculo de palhaçaria focado no público adulto. A circulação nas penitenciárias é uma proposta contrastante. “As penitenciárias são cinzas, quadradas, padronizadas. E a arte é o contrário disso, sem regras, às vezes caótica e vibrante, e sempre é a expressão de liberdade. Há um contraste entre arte e prisão, e é isso que buscamos: levar arte para um lugar em que, teoricamente, ela parece não caber”, diz Ariane. A escolha da palhaçaria para esse espetáculo está baseada na lógica do palhaço, que ri dos próprios erros. Trata-se de uma forma de provocar o público a refletir sobre seus erros e suas heranças. “Na Linha não é só para as pessoas privadas de liberdade, todos nós erramos e temos a possibilidade de refletir sobre isso”, completa Ariane.

O espetáculo tem 40 minutos de duração e estreia neste domingo no YouTube, com LIBRAS e audiodescrição. Ainda não há data para as apresentações presenciais, pois elas acontecerão apenas com todas as condições de segurança. “Como vamos entrar nas penitenciárias, criamos um espetáculo que precise de poucas pessoas e um cenário que seja permitido nesse local. No palco, estará apenas a Ariane”, complementa Juliana. A peça é autoral, e o projeto, inédito.

Ciska já está na linha. Entre também.

SERVIÇO:

O quê: espetáculo de palhaçaria NA LINHA

Quando: 18/07, 18h30

Onde: YouTube, canal @ciskando

Quanto: gratuito

Classificação: Livre

Tradução em LIBRAS e audiodescrição.

Saiba mais no Instagram @ciskando

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios